Transplante de Córnea PDF Imprimir E-mail
Índice do Artigo
Transplante de Córnea
Anatomia microscópica da córnea
Todas as Páginas


O transplante de córnea é uma cirurgia que consiste em substituir uma porção da córnea doente de forma total ou parcial de um paciente por uma córnea doadora saudável, a fim de melhorar a visão do paciente ou corrigir quadro de perfurações oculares que ponham em risco a perda anatômica e funcional do olho.

  1. O que é a córnea?
    A córnea é uma estrutura transparente localizada na parte anterior do globo ocular ou seja na frente do olho.

  2. Quando se indica o transplante de córnea?
    O transplante de córnea é indicado quando uma de suas características é perdida: transparência , curvatura ou regularidade.

  3. Quais são os problemas que acarretam a necessidade do transplante?
    Cicatrizes pós trauma ou infecção (leucoma), edema de córnea (ceratopatia bolhosa), queimaduras químicas ou térmicas, ceratocone, distrofias.

  4. Posso resolver o problema com óculos ao invés de fazer o transplante?
    É necessário reforçar a idéia que quando isso ocorre mesmo que troquemos os óculos a visão continuará restrita, daí sendo indicado o transplante de córnea . 

  5. O que é o transplante de córnea?
    O transplante de córnea consiste na substituição da córnea alterada por uma córnea doadora.

  6. Quais são os tipos de transplantes de córnea?
    Os transplantes penetrantes são aqueles que substituem toda a espessura da córnea, enquanto os transplantes lamelares substituem apenas uma porção da córnea.

  7. Qual o tipo de anestesia no transplante de córnea?
    Anestesia local ou  anestesia geral.

  8. Quando se retiram os pontos?
    Os pontos são retirados em duas situações: quando eles se soltam ou quando desejamos corrigir o astigmatismo que pode ocorrer com a cicatrização.

  9. Onde retiramos os pontos?
    A remoção de pontos é feita no consultório com anestesia de colírio.

  10. tl edit

  11. Qual a porcentagem de sucesso de um transplante de córnea?
    Depende da causa que motivou o transplante. O transplante de córnea apresenta alta porcentagem de sucesso nos casos não complicados e de bom prognóstico.

  12. Posso ter rejeição?
    Todo transplantado pode ter rejeição independente do tempo de cirurgia. A chance de rejeição diminui ou aumenta dependendo da causa que motivou o transplante.

  13. Quais são os sinais e sintomas de rejeição?
    Olho vermelho, baixa de visão súbita ou progressiva, fotofobia ou dor.

  14. Perco o transplante se tiver rejeição?
    Não, o importante é o diagnóstico precoce. O diagnóstico e o tratamento precoce pois assim é possível reverter em grande parte das vezes somente com tratamento medicamentoso.

  15. Se perder o transplante posso repetir o transplante?
    Quando não diagnosticamos a tempo ou não obtemos resultado com o tratamento existe a possibilidade de se realizar outro transplante após a rejeição.

  16. Qual o cuidado pós-operatório?
    O paciente deverá usar comprimidos e colírios antibióticos e antiinflamatórios. Em casos especiais pode ser necessário anti-hipertensivo ocular. Deve-se evitar esforço físico, piscinas no período de cicatrização e dormir do lado contralateral ao olho operado. A recuperação visual é lenta e progressiva.

  17. O que se pode esperar de um transplante de córnea?
    Geralmente os resultados visuais após transplante de córnea são muito satisfatórios. A visão do paciente depende também da integridade de outras estruturas oculares. Após o transplante, pode levar meses para a visão atingir seu melhor potencial, porém após algumas semanas o paciente já poderá  perceber alguma melhora.

  18. Quais os requisitos para o médico oftalmologista realizar transplante de córnea?
    O médico oftalmologista deve ter especialização documentada em transplantes, ser cadastrado no Sistema Nacional de Transplantes e na Central de Transplantes para qual pertence.

  19. Todos os hospitais podem realizar transplante de córnea?
    Os hospitais, assim como os médicos, devem ser cadastrados no Sistema Nacional de Transplantes e na Central de Transplantes para qual pertence.

  20. O que é a lista de espera e como ela funciona?
    A lista de espera é uma lista única (para uma região ou Estado), a fim de promover um acesso igualitário ao transplante para todos os pacientes.

  21. Existem casos que possam ser priorizados na lista de espera?
    Existem critérios para permitir o acesso mais rápido ao transplante, como em crianças com problemas bilaterais, perfurações oculares, infecções graves intratáveis, rejeições recentes de transplantados.

  22. Quem controla a lista de espera?
    O controle da lista de espera é realizado pelas centrais de transplante. As centrais de transplante dos diversos Estados estão integradas ao Sistema Nacional de Transplantes, o qual está submetido ao Ministério da Saúde.

  23. Quanto tempo demora a espera por um transplante de córnea?
    Isto é variável, pois depende do número de pacientes em espera. Mesmo assim, urgências podem ser atendidas em poucos dias, dependendo da gravidade do caso.

  24. De onde se originam as córneas usadas nos transplantes?
    Estas córneas originam-se de pessoas que faleceram e que doaram as córneas para transplante.

  25. Quem pode ser um doador de córnea?
    Qualquer pessoa pode se oferecer para doar suas córneas. Mesmo assim, os familiares do doador sempre são consultados e precisam autorizar a doação. Por este motivo, caso você deseje doar suas córneas, comunique isto à sua família para que saibam de sua vontade.

  26. Existe algum controle sobre a qualidade das córneas doadas?
    Sim. Existe um controle rigoroso da qualidade das córneas doadas para transplante, a fim de evitar a transmissão de doenças infecciosas e para assegurar a boa qualidade do tecido doado.

  27. Quem faz este controle de qualidade?
    Este controle é feito pelos hospitais captadores e transplantadores das córneas, através de seus bancos de córneas, seguindo recomendações internacionais e em concordância com as normas do Sistema Nacional de Transplantes.

 

 


Conheça a campanha nacional de doação de córneas




Conheça a anatomia microscópica da córnea: